segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

A Pré-História


A pré-história corresponde ao período mais longo da evolução da humanidade e que antecede a invenção da escrita (evento que marca o começo dos tempos históricos registados), que ocorreu aproximadamente em 4000 a.C.. Para estudar este período tão distante, o historiador utiliza os recursos da Arqueologia (restos da cultura do homem do passado; machados, pontas de fechas, urnas funerárias, esqueletos, cabanas, vestes, etc.). A partir destas pistas é reconstituída a vida do homem primitivo. Podemos dividir a pré-história em três períodos:



Paleolítico ou idade da pedra lascada


Nesta época, o ser humano habitava cavernas, muitas vezes tendo que disputar este tipo de habitação com animais selvagens. Quando acabavam os alimentos da região em que habitavam, as famílias tinham que migrar para uma outra região. Desta forma, o ser humano tinha uma vida nômade (sem habitação fixa). Vivia da caça de animais de pequeno, médio e grande porte, da pesca e da coleta de frutos e raízes. Usavam instrumentos e ferramentas feitos a partir de pedaços de ossos e pedras. Os bens de produção eram de uso e propriedade coletivas. Nesta fase, os seres humanos se comunicavam com uma linguagem pouco desenvolvida, baseada em pouca quantidade de sons, sem a elaboração de palavras. Uma das formas de comunicação eram as pinturas rupestres. Através deste tipo de arte, o homem trocava idéias e demonstrava sentimentos e preocupações cotidianas. Ainda neste período, o homem conseguiu dar grandes passos rumo ao desenvolvimento e à sobrevivência de forma mais segura. O domínio do fogo foi o maior exemplo disto. Com o fogo, o ser humano pôde espantar os animais, cozinhar a carne e outros alimentos, iluminar sua habitação além de conseguir calor nos momentos de frio intenso.

Neolítico


Dois grandes avanços desse período foram o desenvolvimento da agricultura e a domesticação dos animais. Cultivando a terra e criando animais, o homem conseguiu diminuir sua dependência com relação à natureza. Com esses avanços, foi possível a sedentarização, pois a habitação fixa tornou-se uma necessidade. Neste período ocorreu também a divisão do trabalho por sexo dentro das comunidades. Enquanto o homem ficou responsável pela proteção e sustento das famílias, a mulher ficou encarregada de criar os filhos, cuidar da habitação, da colheita e do preparo do alimento.Também nesse período o homem atingiu um importante grau de desenvolvimento e estabilidade. Com a sedentarização, a criação de animais e a agricultura em pleno desenvolvimento, as comunidades puderam trilhar novos caminhos. Um avanço importante foi o desenvolvimento da metalurgia. Criando objetos de metais, tais como, lanças, ferramentas e machados, os homens puderam caçar melhor e produzir com mais qualidade e rapidez. A produção de excedentes agrícolas e sua armazenagem garantiam o alimento necessário para os momentos de seca ou inundações. Com mais alimentos, as comunidade foram crescendo e logo surgiu a necessidade de trocas com outras comunidades. Foi nesta época que ocorreu um intenso intercâmbio entre vilas e pequenas cidades. A divisão de trabalho, dentro destas comunidades, aumentou ainda mais, dando origem ao trabalhador especializado.



Idade dos metais


Por volta de 6.000 a.C., iniciou-se o emprego na confecção de armas e outros instrumentos. Esse período, que teve seu auge em torno de 2.000 a.C., coincidiu com o desenvolvimento da civilização. A idade dos metais ocorreu ao mesmo tempo que a revolução urbana, com a transformação das aldeias agrícolas auto-suficientes em aglomerados urbanos. Os instrumentos de pedra foram aos poucos substituídos pelos de metal, primeiro de cobre, depois de bronze e, mais tarde, de ferro. A descoberta do uso do metal transformou o homem em artesão, além de coletor, agricultor e pastor. Essa nova atividade ocasionou uma nova divisão de trabalho entre os membros da aldeia, a organização social tornou-se mais complexa. O uso de armas de metal favoreceu a prática de guerra, possibilitando a dominação de um povo sobre o outro, com a conquista de cidades e territórios e a escravização dos vencidos. Foi nesse contexto que se desenvolveram as grandes civilizações da humanidade.
À medida que algumas atividades e profissões foram assumindo maior importância, começaram a surgir os primeiros graus hierárquicos(pessoasque mandavam e pessoas que obedeciam) e formas iniciais de Estratificação social.
Alguns indivíduos, graças à autoridade moral, à capacidade de liderança ou à riqueza, passaram a ser consultados em relação a determinadas questões. Outros se destacaram como chefes guerreiros, ou seja, por sua capacidade de conduzir o grupo nos conflitos com os grupos rivais. Em vários casos, essas pessoas (e os grupos sociais a que pertenciam) passaram a deter privilégios e poder sobre os demais, tornando-se governantes e reis. A partir desse momento surge o Estado, instituição político-administrativa caracterizada por um governo com poderes para fazer valer suas decisões entre a população que habita determinado território. Para registrar o cotidiano, as decisões políticas, as leis, os relatórios econômicos, entre outras coisas, surge, no final da Pré-história, a invenção da escrita, marco divisório entre esse período e a História propriamente dita.



A evolução humana


Estima-se que o Homo sapiens moderno (também chamado de Homo sapiens sapiens) tenha aparecido entre 100 e 200 mil anos atrás. Assim como seus ancestrais, ele é originário da África, de onde partiu para os outros continentes. Por volta de 30 mil anos atrás, encontrava-se espalhado por toda terra.
Australopithecus os indivíduos desse grupo viveram na África entre 4,2 milhões e 1,4 milhão de anos. Existiram diversas espécies diferentes de Autralopithecus, como o anamensis, o afarensis, o africanus, o garhi e o boisei. De uma dessas espécies, provavelmente o africanus, teria se desenvolvido o gênero homo.
Homo erectus foi o primeiro grupo do gênero a sair do continente africano e a povoar a Europa e a Ásia. Os indivíduos desse grupo utilizavam instrumentos de pedra e eram hábeis caçadores. Foram os primeiros a utilizar o fogo.
Homo sapiens sapiens surgido há 100 mil anos, é o grupo ao qual pertencemos. Pouco depois de sua aparição, todas as outras espécies de homo estavam extintas. Foram os grupos do homo sapiens moderno que ocuparam todos os continentes, chegando a América e Oceania. Contribuiu para isso sua capacidade de utilizar as conquistas anteriores, como o uso do fogo e a fabricação de instrumentos.
Filmografia: Guerra do fogo

Um comentário:

Escola de Referência do Ensino Médio Joaquim Olavo disse...

1) Explique o que são fontes históricas e quais são as principais fontes utilizadas pelos historiadores.
2) Quais são as fontes pré-históricas?
3) Faça uma narrativa descrevendo os diversos aspectos e características da vida do homem no paleolítico.
4) “A partir do domínio do fogo e da utilização das primeiras ferramentas, as sociedades paleolíticas tornaram-se mais preparadas para vencer o frio e a fome.” Analise essa afirmação e escreva um parágrafo com suas conclusões.
5) Comente as alterações que a introdução da agricultura trouxe às primeiras sociedades.
6) Há relação entre desenvolvimento da agricultura e crescimento populacional?
7) Quais inovações caracterizaram a “neolitização”?
8) O que representou o desenvolvimento da metalurgia?