quinta-feira, 31 de julho de 2008

Os primeiros helenos: eólios, jônios, aqueus e dórios

Os helenos eram um povo ário que se dizia descendente de um mesmo antepassado comum. Apesar disso, eles estavam divididos em quatro grupos que se estabeleceram em regiões diferentes:
os eólios se fixaram na Etólia, no norte da Hélade;
os jônios se fixaram no centro, na península de Ática;
os aqueus se fixaram no Peloponeso;
os dórios se fixaram no norte da Grécia, na Macedônia e, mais tarde,
no Peloponeso.
Atraídos pela prosperidade dos cretenses, os helenos foram se infiltrando em todo o território até dominá-los completamente, conquistando o mar Egeu. Mas isso não significou o fim da civilização cretense. Os helenos preservaram a civilização que encontraram e assimilaram coisas que eles mesmos tinham criado, como a língua grega.
Os aqueus logo se impuseram aos demais grupos. Por volta de 1400 a.C., as cidades de Micenas e Tirinto tornaram-se os focos irradiadores da nova cultura cretomicênica, uma combinação da velha cultura dos cretenses com a cultura dos helenos.

A Guerra de Tróia
O rei de Micenas liderava os demais reis helenos nas campanhas de conquista.
Eles penetraram na Ásia Menor e lá estabeleceram alguns povoamentos. Mas tiveram de enfrentar um inimigo poderoso: a cidade de Tróia, um centro comercial popular, que se beneficiara da queda do poderio naval de Creta atacando toda a costa grega.
Por volta de 1100 a.C., Agamenon, rei de Micenas, querendo pôr fim à situação, liderou uma coalizão de helenos contra Tróia. A guerra, a primeira entre a Ásia e a Europa, durou dez anos. Os gregos penetraram na cidade escondidos dentro de um enorme cavalo de madeira com o qual presentearam os troianos. Daí vem a expressão presente de grego. No final, Tróia foi totalmente destruída.
Os reis de Micenas teriam continuado a expandir o seu território se não
tivesse acontecido algo inesperado.

A invasão dórica
Enquanto os aqueus lutavam contra os troianos, os dórios começaram a se infiltrar. Os dórios tinham uma coisa que os outros não tinham: armas de ferro.
Por volta de 900 a.C., começaram a avançar em direção ao Peloponeso.
As tribos helenas estavam divididas e debilitadas por causa da longa guerra contra Tróia e não conseguiram resistir. As que tentaram, como Micenas e Tirinto, foram arrasadas. Os aqueus foram reduzidos a escravos dos dórios.
Em Creta, a destruição foi tão grande que não ficou uma única lembrança de seu esplendor.

A cultura creto-micênica: uma sociedade de guerreiros comerciantes
Os aqueus eram governados por uma monarquia absoluta. Devemos supor que a maioria da população vivia sob a dependência dos guerreiros, pois as fortalezas de Micenas e Tirinto abrigavam uma população reduzida e privilegiada.
Os aqueus construíam estradas e portos para facilitar o comércio. Usavam bronze, jóias, pedras gravadas e cerâmica. As cidades aquéias eram fortificadas, e os temas de guerra estavam presentes na decoração dos palácios. As gigantescas construções eram chamadas de ciclópeas, pois lendas diziam que elas tinham sido construídas por ciclopes, super-homens que tinham um só olho, no meio da testa.

A Grécia heróica
Com a chegada dos dórios, começou uma etapa muito importante na vida dos gregos. Esse momento é chamado de heróico ou homérico. Foi nessa época que surgiram os mitos, as lendas, os deuses e os heróis helenos.
Com a invasão dos dórios, muitas famílias helenas fugiram e se refugiaram nas ilhas do mar Egeu e na Ásia Menor. Mais tarde, os dórios se estabeleceram no sul da Ásia Menor.
A partir desse momento, o mar Egeu ficou totalmente rodeado de colônias gregas. Além disso, entre os séculos VIII e VII a.C., as cidades gregas da Ásia Menor transformaram o Mediterrâneo num mar grego.
Ao norte, nas costas do mar Negro, os gregos fundaram várias cidades - entre elas, Bizâncio, que seria, no futuro, a capital do mundo romano oriental. Os gregos também fundaram colônias no Egito, no norte da África, no sul da Itália (a Magna Grécia) e nas costas da Espanha e da Gália, que é hoje a França.
As novas cidades eram autônomas, ou seja, independentes. Apesar disso, os colonizadores mantinham os mesmos costumes e ideais que eram cultivados na Grécia. Assim, a Grécia continental se transformou no centro de uma associação de cidades independentes espalhadas pelo Mediterrâneo.

A cultura e a religião
Para os gregos o ser humano era a obra mais importante da criação. Seus deuses eram pessoas perfeitas, belas e jovens, mas tinham todas as qualidades e os defeitos dos seres humanos.
Os deuses gregos formavam uma comunidade privilegiada que morava no monte Olimpo, um lugar sagrado. Eles eram presididos por Zeus, pai de todos os deuses, e sua mulher, Hera. Os deuses da Terra também moravam no Olimpo, como Posêidon, o deus dos mares, e Dioniso, o deus da alegria e do vinho.
Cada cidade grega tinha o seu deus predileto. Apesar disso, os gregos adoravam todos os outros deuses também. Cada casa tinha um fogo sagrado que ardia em memória dos antepassados.
Os deuses gregos comunicavam seus desejos aos homens por meio de presságios. Os oráculos, os templos onde os deuses gostavam de revelar suas mensagens, foram muito populares na Grécia.

As lendas
O gregos criaram lendas sem fundamento histórico, ou seja, que ninguém podia provar se realmente tinham acontecido.
Mesmo assim, essas lendas foram aproveitadas por poetas e artistas.
As lendas gregas diziam que o homem havia sido criado por Prometeu, que lhe deu o fogo que conseguira roubar do Olimpo. Quando Zeus soube disso, amarrou Prometeu com correntes num monte do Cáucaso. Lá, uma águia vinha todas as manhãs para lhe devorar as vísceras, que renasciam a cada dia.
Para castigar o Homem, Zeus fez com que ele casasse com Pandora, que lhe deu de presente uma caixa que continha todos os males: a maldade, a inveja e assim por diante.

Os heróis
Os gregos também contavam histórias sobre personagens lendários, os semideuses. Os mais famosos foram:
Hércules, o herói nacional grego por causa de sua força física e bondade;
Teseu, que conseguiu acabar com o poder dos cretenses quando matou o Minotauro;
Perseu, que matou a Medusa, um monstro cujos cabelos eram serpentes e que convertia os homens em pedra com o olhar;
Édipo, o anti-herói que assassinou o pai, Laio, rei de Tebas, e casou com a mãe, Jocasta. Uma vez revelado o crime, Édipo fugiu e foi engolido pela terra.

A literatura
Antes que os gregos conhecessem a escrita, trovadores e poetas percorriam as cidades cantando e contando suas lendas. A Ilíada e a Odisséia, os poemas escritos por Homero, são uma reunião de todas essas lendas e mitos que circularam de boca em boca durante séculos.
A Ilíada conta a história da guerra e da tomada de Tróia, cujos principais protagonistas foram os deuses e os reis da Grécia heróica.
A Odisséia conta as aventuras de Ulisses, rei de Ítaca, ao voltar da Guerra de Tróia. Penélope, sua mulher, esperava-o; acreditava que ele estava vivo, ao contrário do que diziam todos aqueles que tinham inveja de Ulisses.

14 comentários:

raquel correa disse...

Queria poder ter um resumo!!
Se vcs puderem me dar um resumo eu adoraria!!!

Anônimo disse...

é so resumir porra
me chupa??

Caroline disse...

o certo aki é comentar apenas coisas decentes e não indecentes entenderam seus idiotas?/???

Natália disse...

Tu quer resumir mais?
aloka.

Anônimo disse...

opa

zeca disse...

mas quecousa lock

zeca disse...

50 cent x racionais

Anônimo disse...

¬¬
não defamem este site com baixarias, falem porcarias em lugares porcos =p

Anônimo disse...

É um contúdo muito bom, uma pena que algumas pessoas não sabem valorizar.

Anônimo disse...

Era bom se todos valorizasem o site.
futuramente todos poderam precisar,filhos,parentes. etc...
cuide hoje do q vai precisar. ou ate mesmo q nao precise.

OBRIGADO PELA SUA ATENÇAO.

Anônimo disse...

Onde está bom senso das pessoas?
O conteúdo é ótimo, concordo com o outro Anônimo, por que vocês não conseguem valorizar?
Meu, querem causar vai num baile Funk, sai nú em plena 25 de Março, coloca uma mini saia e vai pra faculdade, se joga no Rio Tiete, mais não perca seu tempo estragando uma coisa, que de fato é útil para aqueles que se preocupam com o aprendizado, sem mais.

Fernanda Bennington disse...

Nossa o de cima aki falo boonitoo =)Concoordo (y)

Anônimo disse...

Nossa professor, não sei se são seus alunos, mas se for, acho bom o sr. tomar providencias! Q comentários são esses?! Total baixo nível! Q coisa chata...
Mantenho um blog também e graças a Deus isso nunca aconteceu no meu! Mas se acontecesse, excluiria os comentários. Isso mancha o seu blog!

Deza disse...

gostei muito da pagina e das informaçoes